14/03/2020 às 17:38 História da Fotografia

FÉLIX NADAR (1820-1910)

493
3min de leitura

O fotógrafo francês Gaspard-Félix Tournachon, conhecido por Félix Nadar ou simplesmente Nadar, nasceu em 5 de abril de 1820 em Paris. Entusiasta da arte, se identificada com os artistas Impressionistas. Foi cartunista, jornalista e caricaturista para o jornal Le Chavirati. Após 1854, realiza diversos retratos fotográficos em negativo de vidro no seu estúdio. Considerado um dos poucos fotógrafos da sua época a alcançar sucesso tanto comercial quanto artístico.

Em rara aparição retratou o poeta francês Charles Baudelaire, que não gostava de fotografia, pois considera obscena sua precisão. Acreditava que não havia espaço para a imaginação e arte. Nadar fotografa uma imagem borrada tecnicamente falha, porém capturava nesta imperfeição que chamava de "semelhança íntima".

1854: Charles Baudelaire

Nadar escreveu: "Não existe fotografia artística, há na fotografia, como em tudo, pessoas que sabem ver e outras que não sabem sequer olhar." Sendo assim, fotografou a atriz francesa Marie Lourent virada de costas.

1856: Marie Lourent

Em 1858 foi o primeiro fotógrafo a usar luzes artificiais, como em sua série de registros dos esgotos parisienses. Em 1860, foi radical nas suas escolhas artísticas, desistindo da fotografia de estúdio para se dedicar as fotografias áreas, jornalismo e balonismo, este sendo considerado o primeiro protótipo do helicóptero. Fotografou diversos artistas, escritores e intelectuais durante sua carreira de fotógrafo, como o pintor Gustav Courbet que fazia parte do movimento Realista do séc XIX.

1861: Gustav Coubert

Realizou fotografias etnográficas de representantes japoneses do xogunato em uma missão diplomática em Paris no ano de 1863, fez muitos retratos em grande formato e cartes de visite de samurais em suas vestes tradicionais. 

1864: Coronel de Berckheim com Membros da Segunda Missão Xogum à Europa

O fotógrafo utilizava a técnica da cópia a partir do negativo de vidro em colódio úmido. Mostrava o essencial, sem adornos excessivos, criando uma relação entre o fotógrafo, a luz e a modelo. A atriz de teatro Sarah Bernhardt foi fotografada por Nadar em 1864, ele sabia aproveitar como ninguém as possibilidades da época.

1864: Sarah Bernhardt

A imagem abaixo representa Sarah Bernhardt na ascensão de sua fama, sendo que mais tarde a tornaria uma grande estrela midiática. Foi capturada por Nadar quando ele praticamente estava deixando a maior parte das fotografias do estúdio com seus sócios que usavam sua assinatura como marca registrada para atrair clientes que queriam o nome de um fotógrafo renomado em suas cartes de visite (espécie de cartão postal ou cartão de visita que adotou em meio a pressão do mercado). Trabalhava no estúdio somente com encomendas exclusivas. Estas imagens se tornaram conhecidas a partir do negativo original anos mais tarde. Fez experiências com a iluminação direcionada, a luz lateral destaca o formato do queixo, a pele suave e o pescoço longo. Os olhos, ligeiramente sombreados reluzem um brilho próprio. O decote em V atrai o olhar do observador em direção ao busto, encoberto por um foco suave e sombra no tecido, os detalhes nítidos são marcados pelas pregas do pano jogado sobre seu braço, as dobras estão colocadas de modo a sugerir um corpo voluptuoso e nu onde está escondido. Subverte o conjunto de pilar e cortina transformando a atriz em uma figura clássica envolta do tecido, em uma beleza atemporal.

1864: Sarah Bernhardt

Félix criou a fotoentrevista em 1886, com a série de retratos do cientista Eugéne Chevreul. Assim como Nadar, outros fotógrafos abandonaram seus trabalhos até o fim da década, neste período em que o artista chamou de "primórdios da fotografia", onde tudo parecia possível de ser criado, entre o momento da invenção até o período industrial. Em 15 de abril de 1874 aconteceu primeira exposição dos artistas Impressionistas no seu atelier. Cerca de 30 artistas que foram recusados nos Salões Oficiais de Paris, entre eles Claude Monet, Paul Cézanne, Auguste Renoir, Edgar Degas, Camille Pissarro, Alfred Sisley e Berthie Morsot, exibiram suas obras.

Texto por Jessica Melinda

Revisão por Ms. Jennifer Gabriele Rodrigues

REFERÊNCIAS:

Documentários:

- Photo, Une collection proposée par Luciano Rigolini, 2013, de Stan Neumann

Sites:

Livros:

- Tudo Sobre Fotografia de Juliet Hacking

Filmes:

Material Didático:

- Do Olhar Encantado ao Cérebro Pensante de Ms. Pio de Souza Santana

14 Mar 2020

FÉLIX NADAR (1820-1910)

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Tags

Félix Nadar história da fotografia século XIX

Quem viu também curtiu

09 de Mar de 2020

EDGAR DEGAS (1834-1917)

07 de Fev de 2021

A FOTOGRAFIA NA PUBLICIDADE

17 de Ago de 2021

A VIAJANTE DO STREET VIEW